Redes Sociais

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

Internet

Confira dicas para tornar sua comunicação mais acessível
nas Redes Sociais e nos Sites

Existem algumas dicas para deixar sua rede social acessível para pessoas com perda total ou parcial da visão.

 

Um projeto que já está se ampliando nas redes é a hashtag #pracegover. Ela tem a finalidade de descrever a imagem que está sendo postada de forma clara e objetiva.

 

O Movimento Web Para Todos indica a fórmula: “o que/quem + onde + como + faz o quê + como + quando + de onde. Ou a fórmula simplificada: formato + sujeito + paisagem + contexto + ação. (Evite, na descrição de imagens, adjetivos que representam juízo de valor como bonito, feio, bom, mau etc.)”;

Exemplo: #PraCegoVer Fotografia em tons de azul com três mãos em contato, uma por cima da outra, ao fundo. No meio, em primeiro plano e na cor branca, está o símbolo e logotipo da campanha Comtato. A parte de cima do símbolo é uma mão representando o tato. A parte de baixo do símbolo possui traços que lembram um olho e a tradução do nome Comtato em braille. No rodapé da imagem, em uma barra branca, estão os logotipos das instituições envolvidas. Da esquerda para a direta, Laboratório de Publicidade e Propaganda, Curso de Publicidade e Propagada, Instituto de Cultura e Arte, Grupo Pró-Inclusão, Secretaria de Acessibilidade e Universidade Federal do Ceará.

Outro ponto é a edição do texto alternativo no próprio Facebook e também no Twitter.  A Central de Ajuda do Facebook  nos ensina passo-a-passo de como fazê-lo:

 

Para exibir e editar o texto alternativo de uma foto antes de publicá-la:

 

  1. 1. Clique em Foto/Vídeo na parte superior do Feed de Notícias.

  2. 2. Escolha a foto que deseja adicionar.

  3. 3. Clique em Editar foto e em Texto alternativo.

  4. 4. O texto gerado automaticamente será exibido à esquerda da foto. Clique em Sobrescrever texto alternativo gerado para editá-lo.

  5. 5. Para salvar o texto alternativo, clique em Salvar, na parte inferior direita.

E também a Central nos ajuda a editar o texto alternativo de uma foto já publicada:

   1.   Clique na foto para abri-la.

   2.   Clique em Opções, na parte inferior direita, e selecione Alterar texto alternativo.

3. Clique em Sobrescrever texto alternativo gerado ou altere-o na caixa de texto.

4. Clique em Salvar.

O Instagram ainda não possui um meio de edição do texto alternativo, por isso o uso da hashtag é essencial.

 

Suas imagens devem possuir um bom contraste. Elementos textuais devem conter fontes bem legíveis, sem serifa e cores que contrastem bem com o fundo. A leitura digital requer uma distância maior entre o leitor e o computador ou celular. Para as pessoas com baixa visão o texto tem que estar em tamanho confortável para leitura.

 

E não esqueçam: os textos que você postar devem ter uma linguagem bem objetiva e sem erros ortográficos.

Segundo o artigo 63 da Lei Brasileira de Inclusão é obrigatória a acessibilidade nos sites da internet mantidos por empresas com sede ou representação comercial no país ou por órgãos de governo, para uso da pessoa com deficiência, garantindo-lhe acesso às informações disponíveis, conforme as melhores práticas e diretrizes de acessibilidade adotadas internacionalmente.

Estamos falando de proporcionar independência e autonomia. Tornar seu site acessível é um ganho para todos, pois além proporcionar acesso ao seu conteúdo, é uma oportunidade de trazer inovação e ampliação de seu público.

 

E ainda podemos citar outros benefícios de se desenvolver um site acessível como:

 

  • Fortalecimento da marca criando vantagem competitiva através da inovação de seu conteúdo e modernização de sua comunicação.

  • As chances de fidelização do público aumentam com uma melhor interação.

  • Promover uma transformação social.

  • Mais rapidez, simplicidade e facilidade de navegação.

  • Mais compatibilidade multiplataforma.

Sendo assim, seguem as dicas de como construir um site acessível, segundo o Movimento Web Para Todos:

  • “As cores devem seguir regras de contraste que contribuem para a identificação dos elementos;

  • Todo conteúdo digital não textual deve conter descrição da imagem (fotos, ilustrações, tabelas, gráficos, gifs);

  • Evite a redundância na descrição. “A foto ilustra” é um pleonasmo. Seja simples, direto;

  • Selecione um tamanho de fonte confortável: entre 14 e 16 pixels

  • Os hiperlinks dentro dos textos devem indicar o destino do link. Evite “Clique aqui”, “Saiba mais”, “post”. Prefira: “Acesse o site (nome do site)”, “Saiba mais no portal (nome do portal)”. Isso porque muitos cegos navegam somente pelos links;

  • É recomendável que todos os sites tenham um avatar digital para interpretação em Libras, para surdos não alfabetizados em português;

  • Os textos precisam ter uma estrutura mais simples, com frases e parágrafos curtos, ordem direta, voz ativa, sem figuras de linguagem ou termos pouco usuais;”

  • Inclusão de ferramentas assistivas como:

    • Hand Talk - É um plug-in que realiza tradução digital e automática para a Língua Brasileira de Sinais. Seu Tradutor de Sites traz acessibilidade digital em Libras para a comunidade surda através de seu intérprete virtual, o Hugo, um personagem 3D.

    • Browsealoud - Ferramenta que melhora a experiência do site e reduz as barreiras entre o seu conteúdo e o público. Seu software de suporte adiciona fala, leitura e tradução a sites que facilitam o acesso e a participação de pessoas com Dislexia, Alfabetização Baixa e pessoas com deficiência visual leve.

    • Essential Accesibilty - Iniciativa que combina tecnologia assistiva com o serviço de compliance em acessibilidade web de acordo com os padrões da cartilha WCAG 2.0 e constantemente realiza testes, treinamento e monitoramento (TTM).

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now